JAPÃO

 

 

DADOS SOBRE O JAPÃO

 

 

O universo das gueixas confunde-se com o universo das artes - seja a arte do canto, da dança, da conversa ou da sedução; a própria palavra "gueixa", aliás, pode ser traduzida como "pessoa que vive da arte".

 A imagem dessas mulheres, maquiadas de branco e vestidas em belos quimonos, sempre fascinou o Ocidente. E exemplos desse deslumbramento não faltam, tanto no cinema como na literatura: um dos projetos de Steven Spielberg é transformar em filme "Memórias de uma Gueixa", livro do também norte-americano Arthur Golden.
   Mas essa visão cheia de glamour não ajuda a revelar quem realmente são e o que fazem as gueixas. Fora do Japão é comum que elas sejam vistas como prostitutas de luxo, equívoco que explica ao mesmo tempo o preconceito e o romantismo que as cercam.
   Ao contrário do que muitos imaginam, um cliente que paga pelos serviços de uma gueixa muitas vezes não recebe sexo em troca.
   E quando isso acontece, é uma decisão que cabe quase sempre à própria gueixa. Hoje, a maior parte desses clientes são homens mais velhos, que sabem apreciar as artes tradicionais do Japão (que incluem canto e dança), além do jogo teatral que envolve esse universo. "As gueixas são como atrizes", diz a escritora e editora britânica Lucy Moss, que viveu no Japão entre 1994 e 1999. "Elas vendem aos seus clientes o sonho de uma mulher perfeita, e fazem com que eles se sintam atraentes e importantes".

 

Para se tornar uma gueixa, são necessários vários anos de um rigoroso aprendizado que começa na adolescência, geralmente entre 13 e 15 anos - antigamente, esse treinamento se iniciava já na infância.
   Até a 2ª Guerra Mundial, não era raro que as famílias pobres do Japão vendessem suas filhas para prostíbulos, para reduzir o número de bocas a alimentar em meio à miséria em que viviam.
   Mas se essas meninas fossem consideradas bonitas ou inteligentes, poderiam ter a chance de se tornarem gueixas. "Elas são fundamentais na história cultural do Japão", afirma Lucy Moss. "As gueixas mantêm vivas as artes tradicionais do país, que não existem mais no dia-a-dia", concorda a socióloga japonesa Miho Naganuma, que trabalha no Museu de Imigração Japonesa de São Paulo

 

Entretenimento para a elite.
   Conhecer uma gueixa, porém, é privilégio para poucos.

   Em geral, seus clientes são formados por grandes empresários, políticos de peso, membros da yakuza (a máfia japonesa) e artistas famosos.
   E não basta ter muito dinheiro; para entrar nesse círculo seleto, é preciso ser apresentado por outro cliente mais antigo. "As gueixas oferecem entretenimento e arte para a elite japonesa.
   Quando presidentes e diretores de grandes corporações desejam receber bem seus convidados, seus parceiros de negócios, é comum levá-los às casas de chá (ocha-ya)", conta Luiz Massahiro Hanada, ex-secretário-geral da Aliança Cultural Brasil-Japão.
   Mas esse universo, que ainda hoje é cercado de mistério, pode estar em extinção.
   No início do século, havia cerca de 80 mil gueixas no Japão.
   Hoje, estima-se que sejam apenas dois mil. Ironicamente, a influência do Ocidente (que tanto fascínio tem pelas gueixas) é apontada como uma das causas do crescente desinteresse dos japoneses pelas suas antigas tradições.

 

Japão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Ir para: navegação, pesquisa

Nippon (Nihon-koku)
日本国

Imagem:Japan coa kiku.png

(Em detalhe)

(Selo Imperial de Japão1)

 

Lema: "Paz e Progresso" (Imperador Motto)

Imagem:LocationJapan.png

Língua oficial

Japonês

Capital

Tóquio

Maior cidade

Tóquio

Imperador

Akihito

Primeiro-Ministro

Junichiro Koizumi

Área
- Total
- % água

60º maior
377.835 km²
0,8%

População

- Total (2003)
- Densidade

10º mais populoso

127.214.499
335/km²

PIB (base PPC)
- Total (2002)
- per capita

2º maior
US$ 3,55 trilhões
US$ 28.000

Moeda

Yen (ou iene)

Fuso horário

UTC +9

17:25h - meramente ilustrativo
Agora: 17:25

Hino nacional

Kimi Ga Yo

Código Internet

.JP

Código telefónico

+81

1 O Selo Imperial é o Selo Nacional do facto. (Não é oficial)

O Japão (em japonês, 日本 Nippon ou Nihon, literalmente "origem do sol" ou "terra do sol nascente"), é um país do Extremo Oriente, formado por um arquipélago, situando-se ao largo da costa leste da Ásia, inteiramente dentro da zona temperada. Compreende as quatro grandes ilhas de Honshu, Shikoku, Kyushu e Hokkaido, além de mais de três mil ilhas menores nas adjacências, localizadas entre o Mar de Okhotsk a norte, o Oceano Pacífico a leste e a sul e o Mar da China Oriental e o Mar do Japão a oeste. Através do Mar do Japão e do Mar de Okhotsk, contacta com a Rússia, o Estreito da Coreia, a sudoeste, fornece ligação à Coreia do Sul, e na extremidade sul das ilhas Ryukyu (Okinawa) aproxima-se de Taiwan. A capital é Tóquio, a maior concentração urbana do mundo.

 

Política

Ver artigo principal: Política do Japão.

O Japão tem um sistema político democrático e pluripartidário. Todos os cidadãos adultos têm o direito ao voto e a concorrer nas eleições nacionais e locais. Há seis grandes partidos políticos. O mais forte deles, o Partido Liberal Democrata, está no poder desde de 1955.

O Japão também tem um imperador. De acordo com a constituição japonesa, o imperador é o símbolo do Estado e da unidade do povo. Ele não possui poderes relacionados ao Governo

 

Disputas territoriais. O Japão reivindica a soberania sobre as ilhas Etorofu, Kunashiri e Shikotan, e sobre as ilhas Habomai, conhecidas no Japão como "Territórios do Norte" e na Rússia como "Ilhas Kurilas do Sul" ocupadas pela União Soviética em 1945 e administradas atualmente pela Rússia. Japão e Coréia do Sul disputam as Rochas Liancourt (Takeshima/Dokdo) ocupadas pela Coréia do Sul desde 1954; China, Taiwan e Japão disputam as ilhas inabitadas de Senkaku-shoto (Diaoyu Tai) e o Japão declarou como sua zona econômica exclusiva o Mar da China Oriental.

Economia

Ver artigo principal: Economia do Japão.

As principais atividades econômicas do Japão circulam entre as ilhas de Hokkaido, Honshu, Shikoku e Kiushu. Para encurtar a distância entre as ilhas, a engenharia japonesa construiu dois túneis e uma ponte entre Honshu e Kiushu. Entre Honshu e Shikoku, duas grandes pontes também estão sendo construídas e um imenso túnel, com 54 km de extensão, liga Honshu e Hokkaido.

Cerca de 80% do território japonês apresenta relevo montanhoso. As montanhas das ilhas Honshu, Shikoku e Kiushu exibem uma vasta vegetação tropical. A ilha de Hokkaido é coberta por taiga. Essas condições permitiram uma intensa utilização da madeira, inclusive para a construção de embarcações.

Embora a maior parte do território japonês apresente relevo motanhosos, a cultura tradicional é a plantação de arroz (rizicultura), mas há muito tempo que o país também se dedica à pesca, explorada simultaneamente por pequenas e grande empresas. Pequenos portos para pesca são encontrados em toda a sua área costeira, principalmente no litoral do Oceano Pacífico, cujas águas são mais piscosas

Até metade do século XIX, a rizicultura foi a principal atividade económica do japão. Isso mostra o espírito trabalhador do povo japonês, que ao longo da história precisou conquistar um meio natural inóspito particulamente para as atividades agrícolas. Apenas 16% do território japonês é formado por planícies, onde a atividade agrícola é mais fácil.

A rizilcultura transformou a planície de Kanto na zona mais densamente povoada do país. Isso garantiu um mercado consumidor para a indústria que se estabeleceu na era Meiji.

A ocorrência de quatro estações do ano nitidamente marcadas é responsável pelo fornecimento do calor e da humidade que a cultura do arroz exige. Além disso, o emprego de irrigação constante favorece o seu desenvolvimento.

Mesmo depois de ter se transformado em um dos países mais industrializados do mundo, o Japão manteve a agricultura como uma de suas mais importantes atividades. Mas os interesses industriais e urbanos cresceram nas áreas que foram tradicionalmente ocupadas por lavouras. A diminuição da área cultivada vem sendo compensada pelo constante aumento da atividade agrícola, isto é, maior produção por área e por pessoa, decorrente da aplicação de técnicas avançadas e de novos instrumentos. Todavia, a atividade agrícola japonesa tem uma importância mais histórica e cultural, pois é possível importar os outros produtos a preços bem mais baixos. Um dos focos de conflitos diplomáticos no Japão é sua política protecionista. Dentre as principais atividades industriais estão a indústria automobilística (o país é sede mundial, dentre outras, das montadoras Toyota,Honda e Subaru), a indústria eletrônica e de informática, a siderurgia, a metalurgia, a construção naval e química, com destaque para as indústrias com tecnologia de ponta nestes setores

Educação

O ensino obrigatório no Japão vai dos 6 aos 15 anos de idade (6 anos de ensino primário - shougakkô - e 3 anos de ensino secundário inferior - chûgakkô).

A taxa de alfabetização é de 99% e 94% dos estudantes que terminam o ensino obrigatório continuam seus estudos.

Cultura

Ver artigo principal: Cultura do Japão.

A cultura japonesa foi historicamente influenciada pelas culturas continentais da Ásia; sobretudo da China, de quem importou, através da Coréia, a escrita (kanji) e o budismo. No último século, a cultura japonesa foi também influenciada pela Europa e pela América. Apesar dessas influências, o Japão gerou um complexo único de artes (ikebana, origami, ukiyo-e), técnicas artesanais (bonecas, objectos lacados, cerâmica), espectáculo (dança, kabuki, noh, raku-go,Yosakoi Soran, Bunraku), música (Sankyoku,Joruri) e tradições (jogos, onsen, sento, cerimónia do chá), além de uma culinária única.

O Japão actual é um dos maiores exportadores do mundo de cultura popular. Os desenhos animados (anime), banda desenhada (mangá), tokusatsu, filmes, literatura, pornografia e música japoneses conquistaram popularidade em todo o mundo, e especialmente nos outros países asiáticos

 

 

VOLTAR